24 agosto 2009

Infinito de ninguem


Ao término de uma jornada
que não começou
que ainda vai vir
cuidadosamente
em direção à lugar algum
sem saber
à procura de nada
sozinho correndo
em todas as direções
perdido num mar de ilusões
numa jangada de um planeta perdido
num cemiterio de constelações
e planetas destruidos
em círculo
procuro o nada
não sei onde é
que me espera ao fim
que já iniciei
que estou chorando
sou forte
mas a Morte é mais
e ela me espera
não tenho onde me agarrar
vou em direção ao fim
que todos acham
que é o inicio do nada.

Nenhum comentário: